Consumo do álcool nos idosos

O reconhecimento da prevalência dos problemas do álcool nos doentes idosos levou aos estudos sobre a padronização dos métodos de rastreio com o objectivo específico de serem utilizados nesta massa da população.

Como saber se o idoso que vemos pela primeira e segundas vezes, consome em demasia e tem um problema de alcoolismo?

Embora o questionário CAGE seja o método de rastreio mais frequentemente utilizado para as perturbações do consumo do álcool, a sua utilidade no doente geriátrico tem sido questionada. 

Outros métodos, tais como o Alcohol Use Disorders Identification Test (AUDIT), o Michigan Alcohol Screening Test-Geriatric Version (MAST-G) e o Alcohol-Related Problems Survey (ARPS) podem ter uma utilização adicional para este grupo de população. 

As intervenções breves demonstraram ser eficazes na produção de uma abstinência mantida na redução dos níveis de consumo, diminuindo, deste modo, a ingestão alcoólica perigosa e prejudicial. 

Os profissionais de medicina podem identificar alterações específicas no tratamento médico do indivíduo que irão reduzir o risco independentemente do comportamento de ingestão alcoólica. 

Os profissionais de saúde mental podem contribuir na fase de psicoeducação e no apoio ao controlo da ingestão de substâncias químicas que prejudicam a saúde dos idosos. 

(fonte: Geriatrics, Agosto de 2017)